terça-feira, 27 de abril de 2010

SER LIVRE!!!

Você pode mudar a sua vida.
Você pode estruturar a sua vida como quiser.
Porque você é livre!
Você é livre para sofrer tudo o que você quiser!
Perceba que sua liberdade lhe dá condições para
sofrer tudo o que você quiser.
Com uma simples cara fechada de seu marido resfriado,
você pode acabar numa crise conjugal de um mês.
Por causa de uma buzinada no trânsito, você pode se
irritar o dia inteiro.
Com a inflação do mês você entra em depressão profunda.
Porque você é livre!
Nada ou ninguém pode impedir você de sofrer tudo o que quiser.
Perceba que nem mesmo muito dinheiro pode impedir você
de se sentir pobre.
Nem um grande amor pode impedir você de se sentir mal amado.
Nem muitos amigos podem impedir você de se sentir solitário.
Nem mesmo o sucesso pode impedir você de se sentir fracassado.
Porque você é livre!
Você só vai parar de sofrer quando você quiser!
Perceba que é sua a opção pelo sofrimento.
Algumas pessoas decidem estar no mundo para viver,
outras para sofrer.
E pensam que é seu destino sofrer.
Isso é pura ilusão!
Só quando você decidir, você pára de sofrer.
"Porque você é livre!"
Roberto Shinyashiki*

domingo, 25 de abril de 2010

PARA REFLETIR!!!

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim. Como tudo na vida.
Em verdade, detesto quando escuto aquela conversa:
'Ah, terminei o namoro... '
'Nossa, quanto tempo?'
'Cinco anos... Mas não deu certo... Acabou'
Não deu?!?!?!?!
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.

Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.

Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o 'papai-mamãe' mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante (se é!!)
...e se o beijo bate, se joga!!! Se não bate... Mais um Martini, por favor... E vai dar uma volta.

Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê piti.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.

E depois, que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice-versa.
Não fique com alguém por dó também.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
De fato, quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?

Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.

Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar.
Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim... Quem disse que ser adulto é fácil?

Arnaldo Jabor

sábado, 17 de abril de 2010

APRENDI QUE...

Aprendi....que ninguém
é perfeito



enquanto não te apaixonas.



Aprendi....que a
vida é dura



mas eu sou mais que ela!!



Aprendi que...as
oportunidades nunca se perdem



aquelas que
desperdiças... alguém as aproveita



Aprendi que...quando
te importas com rancores e
amarguras



a felicidade vai para outra
parte.



Aprendi que...
devemos sempre dar palavras boas...



porque amanhã nunca se sabe
as que temos que ouvir.



Aprendi que...um sorriso
é uma maneira econômica de melhorar
teu aspecto.




Aprendi que... não posso
escolher como me sinto...



mas posso sempre fazer
alguma coisa.



Aprendi que...quando
o teu filho recém-nascido



segura o teu dedo na sua mão



têm-te prende-lo para
toda a vida



Aprendi que...todos
todos querem viver no topo da
montanha...



mas toda a felicidade
está durante a subida.



Aprendi que... temos
que gozar da viagem



e não apenas
pensar na chegada.


Aprendi que...o melhor é
dar conselhos só em duas
circunstâncias...

quando são pedidos e
quando deles depende a vida.



Aprendi que...quanto
menos tempo se desperdiça...



mais coisas posso fazer.



sexta-feira, 16 de abril de 2010

SELINHO "SEU BLOG É UMA BENÇÃO!"


AMEIIIIIIIIIIIIIIIII...
RECEBI ESSE LINDO SELINHO DA AMIGA GREYCE (http://semprevivaeva.blogspot.com/)
OBRIGADA PELO CARINHO, BEIJOKAS!!!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

PACIÊNCIA...


No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem.


Ela disse:


Aquele ali é meu filho, o de suéter vermelho deslizando no escorregador.

- Um bonito garoto - respondeu o homem - e completou: - Aquela de vestido branco, pedalando a bicicleta, é minha filha.

Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha.

- Clara, o que você acha de irmos?

Mais cinco minutos, pai. Por favor. Só mais cinco minutos!

O homem concordou e Clara continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração.

Os minutos se passaram, o pai levantou-se e novamente chamou sua filha:

- Hora de irmos, agora?

Mas, outra vez Clara pediu:

- Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos!

O homem sorriu e disse:

- Está certo!

- O senhor é certamente um pai muito paciente - comentou a mulher ao seu lado.

O homem sorriu e disse:

- O irmão mais velho de Clara foi morto no ano passado por um motorista bêbado,

quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com meu filho e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele.

Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Clara.

Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta.

Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-lá brincar...

Em tudo na vida estabelecemos prioridades.

Quais são as suas?

Lembre-se: nem tudo o que é importante é prioritário, e nem tudo o que é necessário é indispensável!

Dê, hoje, a alguém que você ama mais cinco minutos de seu tempo.

Eu parei 5 minutos para encaminhar esta mensagem a você

E você, pode perder 5 minutos para passá-la adiante?


"Aquele que procura um amigo sem defeitos termina sem amigos."






quinta-feira, 1 de abril de 2010

1º DE ABRIL: DIA DA MENTIRA!!!



Há muitas explicações para o 1 de abril ter se transformado no Dia das Mentiras ou Dia dos Bobos. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de abril.

Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.

Em países de língua inglesa o dia da mentira costuma ser conhecido como April Fool's Day ou Dia dos Tolos, na Itália e na França ele é chamado respectivamente pesce d'aprile e poisson d'avril, o que significa literalmente "peixe de abril".

No Brasil, o 1º de abril começou a ser difundido em Minas Gerais, onde circulou "A Mentira", um periódico de vida efêmera, lançado em 1º de abril de 1848, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. "A Mentira" saiu pela última vez em 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente.